Provavelmente você já ouviu falar sobre botox (que é apenas um dos nomes comerciais da Toxina Botulínica tipo A), que é bastante conhecido pelas pessoas para o tratamento das indesejáveis “rugas”. Porém, cada vez mais suas aplicações clínicas vem se expandindo, e no tratamento da dor está ganhando um espaço importante.
Mas, para que tipo de dor a Toxina Botulínica está indicada?
A grande evidência científica é para o tratamento da migrânea crônica, a conhecida e tão comum enxaqueca, que compromete a qualidade de vida de milhões de pessoas. Estudos científicos mostram que o tratamento com a Toxina diminui as crises de dor, faz com que os pacientes utilizem menos medicamentos analgésicos, e aumenta significativamente a satisfação com o tratamento de sua dor.
Além da enxaqueca, o uso da Toxina Botulínica tem apresentado resultados positivos para as seguintes dores:
– neuropatia por herpes zoster;
– neuralgia do trigêmeo;
– neuropatia diabética;
– dores miofasciais;
– dor lombar;
– dores articulares, como alguns casos de osteoartrite;
– epicondilite e fasceíte plantar;
– dor do membro fantasma, em casos de amputação.

Mas, para saber se realmente no seu caso de dor, o tratamento com Toxina botulínica é indicado, consulte um médico Fisiatra, pois é necessário uma avaliação inicial para o diagnóstico preciso, e só então o médico pode indicar o melhor tratamento.

Dra. Ana Cristina Ferreira Garcia Amorim – CRM-GO 9963 – Médica Fisiatra no CARE Clínic. Fez residência médica em Medicina Física e Reabilitação pela USP; Área de atuação em Dor pela Associação Médica Brasilera (AMB) e Membro da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED).